A IHM – Investimentos Habitacionais da Madeira realizou esta semana uma sessão de esclarecimento sobre os seus programas de apoio habitacional alternativos à habitação social, com vista a promoção da autonomia e a proatividade dos agregados familiares, nomeadamente jovens, no seu processo de procura de habitação.

Esta iniciativa partiu de um convite da Sociohabitafunchal, no âmbito do seu projeto “Sementes de Cidadania”, tendo sido divulgados os programas Prahabitar, Programa de Apoio a Desempregados e Porta 65-Jovem aos utentes do Centro Comunitário Palheiro Ferreiro.

Em linhas gerais, os objetivos principais destes programas passam por conceder uma comparticipação financeira e não reembolsável, para apoio no pagamento de imóveis de arrendamento no mercado privado, com o fim de residência permanente.

A aposta nestes programas adveio do levantamento das necessidades que a IHM tem levado a cabo ao longo dos últimos anos.

Estes programas permitem apoiar famílias que não dispõem da totalidade dos meios financeiros para aceder a uma habitação, sendo que ainda estão previstas majorações para determinados grupos da sociedade civil, com maior vulnerabilidade, como sejam, agregados familiares jovens e/ou pessoas portadores de deficiência.