As obras de reabilitação do Bairro da Nogueira, uma intervenção a cargo da IHM – Investimentos Habitacionais da Madeira, EPERAM, estão em fase de conclusão, prevendo-se que fiquem prontas já no próximo mês de outubro.

A obra tem um custo total de 650 mil euros e consiste na reabilitação e reconversão de edifício pré-existente, uma superfície comercial desocupada e sem utilização atual, em habitação coletiva, assim como na execução de um Núcleo de Agroinclusão.

Numa primeira fase, foi reconvertido o edificado pré-existente, mediante a construção de onze fogos, de tipologias T1 e T2. Os edifícios reabilitados apresentam no seu desenvolvimento uma especial preocupação com a integração na paisagem, através de uma solução arquitetónica baseada em soluções construtivas comprovadas, escolha de materiais adequados e relações espaciais justificadas pela realidade do contexto da habitação social no âmbito da Região Autónoma da Madeira.

Com estes novos onze fogos, o Bairro da Nogueira soma um total de 350 habitações sociais, com uma população aproximada de 1.100 pessoas.

NÚCLEO DE AGROINCLUSÃO

Numa fase posterior, os terrenos baldios adjacentes foram transformados num programa integrado de agricultura direcionado aos moradores do complexo habitacional, no qual uma habitação abandonada existente no local foi reconvertida num Núcleo de Agroinclusão.

Como infraestrutura de caráter social e formativo, o núcleo destina-se a oferecer aos moradores um espaço de hortas familiares para autoprodução e para o estabelecimento de sessões de formação no âmbito da produção agrícola, permitindo atividades junto dos moradores e outros destinatários por forma a adquirirem competências nas técnicas de agricultura e jardinagem.

A Secretária Regional de Inclusão Regional e Cidadania, Augusta Aguiar, destaca a importância desta intervenção por parte do Governo Regional, que vem não só contribuir para «aumentar o parque habitacional público, como também valorizar o espaço urbano, contribuindo para uma melhor integração dos seus moradores, tendo em vista a valorização e a integração da paisagem envolvente».

Augusta Aguiar evidencia que «a Habitação constitui um dos eixos fundamentais da política pública, que possibilita uma intervenção social transversal de apoio à população da Região Autónoma da Madeira». E acrescenta: «O direito a uma habitação condigna é fundamental, pelo que o Governo Regional tem demonstrado um grande empenho na prossecução deste objetivo».

PROJETO RENASCER@NOGUEIRA – E8G

No Complexo Habitacional da Nogueira, funciona o Projeto Renascer@Nogueira – E8G, financiado pelo Programa Escolhas e integrado no Alto Comissariado para as Migrações, sendo a IHM – Investimentos Habitacionais da Madeira, EPERAM a entidade promotora e a Associação Casa do Voluntário a entidade gestora. Surgiu da necessidade de colmatar comportamentos de risco associados ao contexto territorial da sua intervenção na freguesia da Camacha, com foco particular nos residentes no Bairro da Nogueira.

O projeto tem como destinatários crianças e jovens com idades compreendidas entre os 6 e os 25 anos, tendo como objetivo principal promover respostas de inclusão social e participação cívica, dotando este público de competências socioeducativas, através da dinamização de um conjunto de atividades de promoção da educação, inclusão digital, formação e qualificação, dinamização comunitária, saúde, participação e cidadania.

Pretende criar um impacto positivo na comunidade e dar resposta às problemáticas de inatividade, desocupação, ausência de projetos de vida sólidos e insucesso escolar verificado em crianças e jovens, diminuindo significativamente os comportamentos desviantes e a consequente conotação estigmatizante do Bairro Social da Nogueira.

O Projeto Renascer@Nogueira – E8G visa promover respostas de inclusão social e participação cívica, destinadas a crianças, jovens e familiares residentes no concelho de Santa Cruz, com particular foco nos oriundos do Bairro Social da Nogueira, através da dinamização de atividades que visem contribuir para a inserção escolar ou profissional, e que fomentem o desenvolvimento de hábitos de vida saudáveis.

Anualmente, estão envolvidos no projeto 50 crianças e jovens, todos residentes no Bairro da Nogueira.

A Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania relembra que «a proximidade é indispensável na concretização da política habitacional, pelo que é essencial continuar a inovar na intervenção social, integrando as famílias, os parceiros públicos e privados, através do desenvolvimento de projetos de cariz social».

A governante sublinha que «o Projeto Renascer@Nogueira merece destaque como um projeto que vai ao encontro de um dos objetivos estratégicos do Governo Regional, na área da habitação social: o de melhorar a intervenção física, social e o desenvolvimento integrado nos complexos habitacionais geridos pela IHM».